0

Projeto Troika. Fotógrafos lançam campanha de crowdfunding online

Pojeto Troika

Projeto Troika – imagens da sociedade D.R.

16/01/2014 | Dinheiro Vivo            

Um grupo de oito fotógrafos e um realizador lançou o Projeto Troika, que quer documentar o impacto da ‘troika’ (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional) e questionar o futuro, disse esta quinta-feira uma das participantes.

“O Projeto Troika é um projeto documental que tem o objetivo de produzir reflexões sobre aquilo que se passa em Portugal, mais concretamente sobre os sinais da presença da ‘troika’ em Portugal. E lançar a questão de como será o país depois de a ‘troika’ abandonar o nosso território, que será para breve, se tudo correr bem”, disse à Lusa Lara Jacinto, que, com os fotógrafos do Público Adriano Miranda e Paulo Pimenta, esteve na origem da iniciativa.

O coletivo lançou o projeto sem apoios externos e está, neste momento, a desenvolver uma campanha de angariação de fundos para reunir financiamento de modo a publicar um livro e um filme, que pretendem que estejam disponíveis em novembro.

“Isto está dependente de como resultar a campanha que estamos a fazer na Internet de recolha de donativos. Não temos qualquer apoio e estamos a recorrer à ajuda das pessoas para pôr o projeto cá fora. O objetivo principal será o livro, que tem o filme. Existem outras coisas que gostaríamos de fazer, mas que estão dependentes dos donativos que as pessoas façam”, disse Lara Jacinto.

O Projeto Troika partiu da necessidade “de fazer qualquer coisa perante aquilo que está a acontecer”, recorrendo os autores às “ferramentas” que tinham à sua disposição: fotografia e filme.

 

Fonte : http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO313426.html

0

Olmo, uma plataforma nacional de crowdfunding para apoiar causas sociais

Chama-se Olmo e é uma nova plataforma nacional de crowdfunding. Esta, em específico, é direccionada para causas sociais e arrancou oficialmente com projectos em Portugal, S. Tomé e Moçambique

Todos os projectos sociais e humanitários direccionados para o desenvolvimento económico-social das populações podem ser registados em Olmo.pt, de forma a procurar financiamento por parte de empresas ou do público. Por enquanto esta plataforma ainda só se encontra em versão Beta.

Os projectos que procurarem financiamento através da plataforma da Olmo serão ainda alvos de acompanhamento constante por profissionais do terceiro sector, uma solução que a Olmo considera garantir a “idoneidade dos promotores e a sustentabilidade dos projectos”.

“Sabemos que muitos empresários estão predispostos a apoiar causas sociais, mas nem sempre sabem como fazê-lo e onde estão os projectos que se adequam aos seus propósitos. A Olmo pretende aglomerar projectos fiáveis e facultar toda uma logística profissional que agiliza o processo de doação”, afirma James Kirkby, um dos mentores deste projecto e presidente da Associação Olmo.

As doações podem ser feitas em bens, dinheiro ou serviços.

Fonte : http://www.ionline.pt/artigos/tecnologia/olmo-uma-plataforma-nacional-crowdfunding-apoiar-causas-sociais

0

Crowdfunding. Os projetos portugueses que venceram em 2013

Procuraram dinheiro na plataforma Indiegogo e conseguiram, sempre acima dos objetivos iniciais

30/12/2013 | 17:07 | Dinheiro Vivo            

Na era do ‘crowdfunding’, ainda são poucos os projetos portugueses que procuram financiar-se desta maneira. E são menos ainda aqueles que realmente conseguem dinheiro em plataformas de financiamento comunitário.

Como o KickStarter é só para empresas norte-americanas, a maioria dos empreendedores escolhe a Indiegogo, apesar de haver outras plataformas para a Europa. De um total de oito projetos que conseguiram atingir os objetivos e receber o montante total de financiamento, a maioria são de cariz privado – aquela viagem a África para filmar a natureza ou capital para produzir fotografias belíssimas em sítios estranhos. Estes são os que fazem a diferença: negócios que arranjaram investimento este ano e que estão ou estarão disponíveis em 2014:

1. Lapa – Your social lost and found Este é o projeto português mais bem sucedido do ano na plataforma Indiegogo. Teve duas rondas de financiamento, ambas com desfecho positivo, que tornaram em produtos reais a invenção da start-up Lapa Studio: pequenos aparelhos, “lapas”, que servem para localizar todo o tipo de objetos. As “lapas” usam tecnologia sem fios Bluetooth, mas também recorrem aos amigos de uma rede social própria para localizar objetos perdidos.

Leia mais: Lapa. Os perdidos e achados da era digital

A primeira ronda decorreu entre setembro e outubro de 2013 e terminou com 827 financiadores, que angariaram 76,702 mil dólares (o objetivo era 75 mil dólares). A segunda ronda de financiamento, na verdade uma extensão da campanha original, pedia mais 10 mil dólares em quatro semanas. Conseguiu 21,982 mil dólares de 414 financiadores. A empresa conseguiu assim entrar na fase de produção massiva dos gadgets, que já podem ser encomendados no seu site.

0

iTravey: startup portuguesa é vice-campe​ã mundial

Image

2013 Dez 23 – Publicado por

PORTO – A iTravey – a startup portuguesa que quer revolucionar a maneira como as férias são marcadas -, foi uma das vencedoras da Global Startup Battle, uma competição mundial de startups. Ao alcançar um brilhante segundo lugar mundial, a iTravey ficou à frente de mais de 1000 equipas que participaram no evento Startup Weekend, que ocorreu por todo o mundo durante a Semana Global do Empreendedorismo, juntando mais de 15.000 participantes.

Depois de ganhar o Startup Weekend Covilhã, a startup lusa entrou numa votação para apurar as 15 startups que seriam avaliadas por umj júri da Google, tendo conseguido um lugar no top.

No processo de avaliação a equipa portuguesa não desiludiu, alcançando um segundo lugar naquela que foi uma estreia de Portugal na etapa decisiva da competição. Com aquela classificação, a iTravey ganhou uma viagem à sede da Google em Silicon Valley, S. Francisco, 10.000 dólares numa campanha de crowdfunding, acesso a mentores da Google para ajudar no desenvolvimento do projecto e um stand para mostrar o seu produto na Launch Conference.

Relativamente à campanha de crowdfunding ou financiamento colectivo, consiste numa forma simples e transparente de angariar fundos para um projecto através de uma comunidade online. Ao visitar a página do projecto na plataforma de crowdfunding as pessoas podem demonstrar o seu interesse financiando o projecto. Em troca do dinheiro a pessoa recebe uma recompensa de acordo com o apoio oferecido. O crowdfunding é também, muitas vezes, uma prova de conceito para que os projectos possam validar o produto junto dos próprios consumidores finais.

A campanha da iTravey deve iniciar em Janeiro no indiegogo, um dos sites mais populares de crowdfunding do mundo. Neste momento, a startup encontra-se a registar os primeiros clientes que vão conseguir ter acesso antecipado à plataforma. A inscrição é possível no site.

Por trás do projecto encontram-se sete jovens: Carlos Carvalho, Mikhael Santos, André Leite, Miguel Casteleiro, Hugo Duarte, Pedro Caleiro e André Oliveira, a provar que Portugal é sinónimo de empreendedorismo.

0

Olmo: Uma empresa que nasceu para ajudar com crowdfunding social

É um cruzamento entre o KickStarter e uma lista de casamento online. A Olmo quer ajudar a financiar projetos humanitários e de cariz social

Quando uma jovem californiana pediu ajuda para dar a volta ao mundo no seu barco, apareceram donativos de todo o lado. A sua campanha no KickStarter foi bem-sucedida e angariou 8141 dólares de 148 investidores. Se uma volta ao mundo consegue apoio, projetos sociais como a reconstrução de escolas em São Tomé e Príncipe também conseguirão?

É isto que a plataforma Olmo, da associação portuguesa com o mesmo nome, pretende descobrir. Trata-se de crowdfunding social, como explica ao Dinheiro Vivo Domingos Farinho, sócio da Terceiro Quadrante e um dos fundadores do projeto.

Confira em | Dinheiro Vivo